Pague menos na sua erva para Tereré

Qual a erva mate mais utilizada no preparo do tereré?

   O tereré nada mais é que uma versão meio maluca do chimarrão. Ao invés de ser quente, ele é gelado. E assim como no preparo do chimarrão temos nossa erva mate preferida para uso, no preparo do tererê também.

A erva mate mais utilizada no preparo do tererê é a Kurupi. O processo de fabricação da erva mate Kurupi é diferente do processo de fabricação da erva mate tradicionalmente usada no preparo do chimarrão.

Essa erva passa por um período de maturação que realça o seu sabor, adquirindo assim, características próprias que são combinadas com a adição de especiarias o que faz criar um sabor bem diferente do qual estamos acostumados com o chimarrão.

O modo de produção da erva mate Kurupi é diferente também no Paraguai e no Brasil. A erva mate produzida no Paraguai te, além do excesso de boldo em sua composição, uma característica muito marcante. Ela faz parte de uma classe singular chamada de “estacionada”. Ela é chamada assim pelo simples fato de passar de 8 a 10 meses no depósito, perdendo a cor e o sabor característico da erva mate Kurupi e evidenciando o sabor da menta e do boldo que são colocados no produto. Então, somente após esse processo é que ela é embalada e distribuída, e é por esse motivo que podemos sentir uma presença muito marcante da menta e do boldo no tererê.

O boldo é adicionado no preparo dessa erva pelo fato dele ser um excelente medicamento para males do estômago e do fígado, porém, se for ingerido em excesso pode fazer mal para o nosso organismo, especialmente para gestantes.

 

  Aonde o tererê é servido?

Diferentemente do mate quente, no tererê a erva pode ser colocada em um vidro, porque o vidro tem bem mais capacidade do que um recipiente para mate. No Paraguai se chama de guampa, geralmente esse vidro é feito de chifre de boi e por vezes adornadas com prata ou algum outro metal.  Há também guampas de madeira, de plástico ou inteiramente de alumínio. A palavra “guampa” é de origem Quechua e significa precisamente “chifre”. O chifre bovino é muito utilizado como recepiente em todo o cone sul.

Preparo da erva

A erva do tererê, ao contrário da erva mate tradicional, devem ser cortadas grossas, pois não correm o risco de ficarem entupidas assim como a erva do chimarrão. Mas quando ocorre o entupimento da erva é devido a grande quantidade de pó da mesma, indicando má qualidade.

O líquido utilizado para a infusão , o mais popular tanto no Brasil quanto no Paraguai, é a água gelada e opcionalmente algumas pessoas colocam gotas de limão ou até mesmo sucos de frutas. No Paraguai é um costume ser adicionado outras ervas e plantas medicinais a água. Há muitas outras combinações que são possíveis de se saborear com o tererê, porém os consumidores mais tradicionais não indicam o consumo de combinações muito estranhas para o seu próprio bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *